ONG FPA PROTEÇÃO ANIMAL REALIZA CAMPANHA DE ARRECADAÇÃO DE RAÇÃO E TROCO SOLIDÁRIO

INSTITUIÇÃO ALIMENTA ANIMAIS DE RUA EM MIRAGUAÍ

A ONG Família Proteção Animal de Miraguaí está realizando campanha de arrecadação de ração e troco solidário. A instituição alimenta animais de rua, os chamados cães comunitários, cães em lares temporários, bem como auxilia famílias em situação de vulnerabilidade social. Nas agências da Sicredi, Banrisul e Cresol, além da caixa para arrecadação de ração, há um cofrinho devidamente identificado para arrecadação de moedas, o troco solidário. Os valores arrecadados também são investidos na compra de medicamentos, nos procedimentos cirúrgicos e demais atendimentos médicos. Na Pet Shop Bicharada, Academia Phisycal Life, Agropecuária Albarello, Super Redefort, Super Lorenzon, Supermercado Hermes e Foco Academia há uma caixa para arrecadação de ração. A ONG conta com o apoio da comunidade, pois os recursos da entidade são bastante escassos.

A ONG também informa que tem recebido denúncias constantes de maus-tratos e está monitorando animais em vários pontos do município, tanto através de voluntários, como pelas câmeras da cidade. Com o objetivo de frear os maus-tratos contra animais, foi sancionada, em 29 de setembro de 2020, a Lei 1.095/2019, que aumenta a punição para quem praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais. A legislação abrange animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos. Os cães e gatos acabam sendo os animais domésticos mais comuns e as principais vítimas desse tipo de crime. A nova lei possui um item específico para esses animais. Agora, como define o texto, a prática de abuso e maus-tratos será punida com pena de reclusão de dois a cinco anos, além de multa e a proibição de guarda.

Também configura maus-tratos:

- Manter o animal acorrentado;

- Deixar o animal na rua;

- Atropelar e não prestar socorro;

- Deixar o animal sem abrigo, exposto ao sol e chuva;

- Deixar o animal sem água ou sem alimento;

- Não levar o animal ao veterinário quando estiver doente;

- Animal com pulgas ou carrapatos;

- Animal em local sujo ou local com pouco espaço;

- Rinhas de galo ou briga de cães.

 

Sempre que a ONG recebe uma denúncia, dependendo da situação, em primeiro momento tenta-se a conversa para conscientização. Se necessário, efetua-se a denúncia junto a Patrulha Ambiental. A ONG ressalta que não mede esforços para fazer valer os direitos dos animais. O contato com a ONG pode ser feito através das redes sociais Instagram ou Facebook ou com os membros da diretoria, identificados nas redes socias.

 

 

 

Colaborou: Denise Guerra/Planeta FM

 

Comentários