AGRICULTORES PODEM COLHER TRIGO NA RESERVA INDÍGENA, DIZ JUÍZA FEDERAL

SERVIÇO DA FUNAI SE RESTRINGE APENAS A IDENTIFICAR PRODUTORES COM PARCERIA

Prefeitos de Miraguai, Redentora e Tenente Portela participaram de uma live na terça-feira, 26, com a Juíza Federal da Primeira Vara Federal de Palmeira das Missões.

A doutora Ana Raquel Pinto de Lima conduz a ação civil pública que busca identificar todos os agricultores brancos que moram ou usam a Terra Indígena do Guarita para plantio.

Diante da presença de equipes da Força Nacional de Segurança Pública, tropa de elite designada pelo governo federal para fazer a escolta de fiscais da Fundação Nacional do Índio (Funai) no rastreamento de casos de arrendamento ilegal das terras caingangues, os agricultores brancos, interromperam a colheita do trigo temendo represálias.

Diante do fato, o Prefeito de Miraguai, Valdelirio Preto da Silva (Pretinho) vinha sendo procurado por agricultores e indígenas que buscavam uma solução para colheita da cultura nas terras indígenas.

Pretinho, reuniu em Miraguaí, os prefeitos de Redentora, Nilson Paulo Costa e de Tenente Portela, Rosemar Sala na segunda-feira, 25 e nesta terça-feira, 26, foi realizada uma live na prefeitura de Miraguaí com a participação da Juíza Federal Ana Raquel Pinto de Lima.

De acordo com informações dos prefeitos de Miraguaí e Redentora ficou esclarecido que no processo movido pelo Ministério Público Federal (MPF), já foram identificados 196 agricultores, mas a lista é antiga, tem mais de 20 anos. A Funai alegou falta de segurança para atualizar os cadastros, pelo seu reduzido quadro de servidores e por temer hostilidades dos índios, para quem a ajuda financeira dos brancos na época de plantio é fundamental para a renda anual. Um total de 12 militares foi deslocado para a Guarita para ajudar quatro fiscais da Funai a refazerem o cadastramento dos ocupantes ilegais da área indígena, de suas máquinas e implementos agrícolas.

De acordo com o que foi questionado pelos prefeitos a Juíza Federal informou que em nenhum momento a sua decisão impede a colheita do trigo, que o trabalho da Funai se restringe a identificação dos agricultores, não podendo inclusive, segundo o que foi relato aos prefeitos ocorrer nenhum tipo de represália aos produtores rurais que estão com parcerias com a comunidade da Terra Indígena do Guarita.

 

 

 

Rádio Planeta FM - 102

 

 

Comentários